VIOLÊNCIA – Funcionário do Iteral não pode se aproximar de ex-companheira, decide juiz

Um funcionário do Instituto de Terras de Alagoas (IML) está sendo acusado de bater na ex-companheira. A vítima chegou a conseguir uma ordem protetiva da justiça. Segundo autos do processo, Ana Cleide Aquino Rodrigues Alves foi agredida por José Antelmo Alves Ribeiro.

Conforme o magistrado Bruno Araújo Massoud, a vítima após romper seu relacionamento com o agressor, passou a sofrer diversas ofensas, ameaças e até agressões físicas, como empurrões e apertos, por se recusar a reatar a convivência.

“Defiro que o acusado não se aproxime da ofendida, mantendo distância não inferior a 300 (trezentos) metros; o afastamento do agressor do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida; e a proibição de contato, por qualquer meio de comunicação com a ofendida, seus familiares e testemunhas”, decidiu o juiz.

A decisão é de fevereiro, mas que veio à tona somente agora.

Confira:

0700073-94.2021.8.02.0055
Botão Voltar ao topo