MEDO – Governo federal permite que Porto de Maceió vire depósito de ácido sulfúrico

O Governo Federal assinou, na sexta-feira (14), três contratos de arrendamento portuário e quatro para autorização de exploração pela iniciativa privada. Uma previsão de R$ 935,2 milhões em investimentos.

Os contratos de arrendamento de terminais públicos se referem aos terminais ATU12 e ATU18, que ficam no Porto de Aratu-Candeias, na Bahia, arrematados pela CS Brasil Transportes.

O outro terminal é o MAC10, localizado no Porto Organizado de Maceió, em Alagoas, que será administrado pela empresa Timac Agro Indústria.

Os investimentos serão destinados para a construção de novos galpões de armazenagem, dragagem de canal, recuperação e modernização de equipamentos. A área MAC10 é destinada à movimentação, armazenagem e distribuição de granéis líquidos, especialmente ácido sulfúrico, que tanto a população teme.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, destacou que, do total de 42 contratos de arrendamentos portuários já feitos no Brasil, 26 foram no Governo do Presidente Jair Bolsonaro.

“Este é o resultado de deixarem forasteiros administrar a nossa casa”, reclamou um dos funcionários do Porto de Maceió, que é administrado por Rio Grande do Norte.
Botão Voltar ao topo