VIRADA DOLORIDA: CSA faz jogo parelho com Botafogo, recua demais após abrir o placar e perde a primeira no Rei Pelé.

Cansaço dos jogadores ficou visível nos últimos 20 minutos

O CSA perdeu uma grande oportunidade de sair da zona do rebaixamento, além da invencibilidade no Rei Pelé. No competitivo Brasileirão, levar uma virada em casa pode custar a vaga na elite ao final do campeonato. E convenhamos, o Botafogo não é, há muito tempo, o grande time de outras décadas. A vitória era possível e necessária.

Os azulinos faziam jogo parelho com os cariocas, mas claramente falta um camisa 9, um goleador – Cassiano não é esse cara. Destaque para a estreia de Jonatan Gómez, que mostrou qualidade mesmo jogando de segundo volante. Com o argentino, o time ficou mais ofensivo. Além de uma bomba de longe no primeiro tempo, que obrigou Cavalieri a fazer uma bela defesa, foi dele o lançamento perfeito para o experiente lateral esquerdo Carlinhos abrir o placar.

Após o gol, o CSA recuou demais e pagou caro por isso: Cícero e Alex Santana acabaram com a esperança da torcida azulina de comemorar mais uma vitória. Diego Souza foi o melhor em campo, com participação importante nos dois gols botafoguenses.

Faltou ousadia ao time de Maceió e sobrou determinação para os cariocas. Alguns jogadores ficaram devendo, como Apodi, Matheus Sávio, Didira, Maranhão e Madson, claramente, acima do peso.

As perguntas que ficam: Marcelo Cabo é o técnico certo para o CSA na elite? A preparação física da equipe está no melhor nível? O centroavante vai chegar?

Na próxima quarta-feira, às 21h30, o CSA, agora em penúltimo lugar, joga na condição de mandante contra o Flamengo, mas em Brasília, onde a torcida será do adversário. Aliás, se continuar vendendo mandos de campo dos jogos contra os times de massa, já pode assumir a posição de rebaixado. Os raros times que sobem da Série B e se mantém na elite têm no fator casa sua melhor arma.

É bom a diretoria azulina acordar, e colocar no comando do futebol pessoas preparadas e que entendam do riscado. Futebol é negócio, mas isso não pode estar à frente do desejo do torcedor, que é permanecer na elite do futebol brasileiro em 2020.

Torcida deixou o Trapichão decepcionada – Foto: Morgana Oliveira
Botão Voltar ao topo