Pleno do TJ julga Toninho Lins por formação de quadrilha nesta terça-feira

O ex-prefeito de Rio Largo Toninho Lins irá mais uma vez a julgamento nesta terça-feira, 18.

O autor da ação é o Ministério Público de Alagoas (MP-AL), em processo que apurou a venda do terreno da antiga fazenda Utinga.

Segundo os autos do processo, o Grupo Estadual de Combate as Organizações Criminosa (Gecoc) encontrou a existência de uma organização criminosa voltada para a obtenção de vantagens ilícitas através da desapropriação do imóvel particular em favor do Município de Rio Largo.

O ex-gestor é acusado de acusado de apropriação de recursos públicos, alienação de bem público em desacordo com a lei, falsidade ideológica, dispensa de licitação e formação de quadrilha.

Em junho, o desembargador Paulo Barros da Silva Lima pediu vista para analisar os autos, o que suspendeu o julgamento dessa mesma ação.

Antes, o relator do processo, juiz convocado Maurílio Ferraz, proferiu o seu voto para julgar improcedente a denúncia do MP-AL, absolvendo o ex-prefeito dos crimes a ele imputados.

De acordo com o magistrado, não ficou provada a ligação do réu com as demais pessoas apontadas na denúncia.

Lins está preso desde abril no Sistema Prisional de Alagoas. Ele foi condenado pela Justiça por improbidade administrativa.

Botão Voltar ao topo