Sindpol ajusta novas condutas de atendimento com IML

A diretoria do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol)  ajustou junto do Instituto Médico Legal, os atendimentos na unidade, durante reunião solicitado pelo Sindpol. No encontro, o diretor do IML  explicou os problemas enfrentados pelo órgão, exemplificando a carência de efetivo, a falta de estrutura para atendimento fora do órgão e o tempo necessário para realização dos exames.
O vice-diretor de Planejamento do Sindpol, Emerson Pereira, também informou as reclamações da categoria com a espera de até quatro horas para realização do exame de corpo de delito no IML, destacando que os policiais civis, normalmente, recebem o preso da Polícia Militar e necessitam do exame para encaminhá-lo ao presídio, citando também as audiências de custódia, que a categoria acompanha.
O presidente da Associação dos Médicos Legistas, Avelar Holanda, disse na reunião que o órgão necessitava de mais de 30 médicos legistas para Maceió e de 15 para Arapiraca. O IML possui 40 médicos para atender toda a demanda do Estado, sendo que, desse quantitativo, sete médicos estão afastados devido ao processo de aposentadoria. Por isso, hoje o órgão conta com apenas dois médicos por plantão.
Tanto o presidente da Associação como o diretor do IML destacaram que por conta do cansaço com o trabalho mental, tendo em vista também que estudos comprovam a queda da qualidade do resultado com o trabalho noturno, os médicos legistas trabalham no horário de 5 da manhã até a meia noite.
Avelar Holanda destacou que a necropsia tem que ser realizada pelo menos seis horas após o óbito para ficar evidente as lesões, acrescentando que o exame para caso de estupros tem que ser realizado em até seis para não perder material.
Os dirigentes do Sindpol ressaltaram a necessidade do diretor do IML viabilizar conjuntamente com o Sindicato uma nova legislação para permitir a realização de concurso público para mais de 40 vagas, totalizando 80 vagas.
Na reunião, ficou definido que o atendimento dos médicos legistas continuaram ocorrendo no horário de 5 da manhã até a meia noite, no entanto deve ter intervalos de 15 minutos para a troca do plantão. Já os exames cadavéricos devem ser  realizados das 7 às 17 horas.
Houve mudanças também com relação ao trabalho integrado entre a polícia e o IML. Nas operações, a delegacia deve informar com antecedência de 24 horas ao diretor do IML, solicitando uma equipe para realizar o exame de corpo de delito.
 Para presos do HGE, o policial civil deve levar o relatório médico assinado pelo médico responsável ao IML. Se não estiver com o relatório médico assinado, os médicos legistas não realizarão o exame.
Botão Voltar ao topo