Gastos da Câmara e Senado aponta um benefício “cruzado” de R$ 2,5 milhões

Um de cada 6 congressistas gasta parte de suas verbas de gabinete com serviços fornecidos por pessoas ou empresas que fizeram doações em suas campanhas eleitorais. O benefício “cruzado” já atingiu R$ 2,5 milhões distribuído entre 92 deputados e senadores aos seus doadores. Os números foram obtidos a partir da organização não governamental Dados.org.

Analistas apontam que o pagamento por si só não é crime, mas que há o risco de que esses “gastos cruzados” possam ocultar benefícios indevidos. Em quase metade dos casos, esses doadores receberam mais do que passaram às campanhas dos parlamentares.

O valor recebido em troca de serviços foi maior do que o doado – em um dos casos, 36 vezes maior. Os serviços mais adquiridos são os de gráficas, locadoras de veículos e gastos com postos de gasolina.

O senador e pré-candidato ao governo de Rondônia Acir Gurgacz (PDT) aparece no topo da lista. O seu gabinete destinou R$ 392,9 mil em pagamentos a Gilberto Piselo do Nascimento, que também é seu suplente e chegou a assumir o mandato por um curto período em 2016. O valor teve como destino o aluguel de imóvel do suplente para uso como escritório político do senador.

Os parlamentares por sua vez, defenderam os gastos e afirmaram que têm como provar que todos os serviços foram prestados, respeitada a legislação. Todos negaram ter qualquer relação com as empresas além dos serviços.

 

  • Com notíciasaominuto
Botão Voltar ao topo