Alagoas teve 2,6 mil trabalhadores afastados por licença médica em um ano

O estado de Alagoas teve 2.622 benefícios concedidos por acidentes ou adoecimentos no trabalho em 2017. A informação foi divulgada na tarde desta terça-feira (22) pelo Ministério do Trabalho e leva em consideração dados do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Segundo o MT, essas pessoas precisaram se ausentar por mais de 15 dias devido algum problema de saúde causado pelas atividades laborais.

O Ministério apresenta as 20 principais causas de afastamento. A principal é dorsalgia (dor nas costas). Foram 279 trabalhadores com esse tipo de problema, o que representa 10,64 % do total.

As fraturas que causaram afastamentos são divididas em 6 tipos, de ferimento na mão ao fêmur, mas se somar todos eles, o número de pessoas afastadas por essa motivação chega a 760.

O levantamento também revela que Alagoas teve 5 mortes por acidente de trabalho, sendo 3 por impacto; 1 por queda de trabalho em altura; e 1 sem classificação específica.

O Ministério também trouxe dados nacionais. De acordo com a pesquisa, foram concedidos 196.754 benefícios a trabalhadores afastados. A média foi de 539 afastamentos por dia e as quatro principais causas foram as fraturas e, a quinta, também dorsalgia.

O Ministério do Trabalho quer alertar a população sobre o assunto e, para isso está realizando até novembro a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Canpat).

“Precisamos olhar para esse tema com a importância que ele merece. Ter ambientes de trabalho seguros e saudáveis é importante tanto para o trabalhador quanto para o empregador, com benefícios que alcançam todos os brasileiros, economicamente ativos ou não”, informou o ministro Helton Yomura.

Botão Voltar ao topo