Projeto eleitoreiro “Maceió de Frente Pra Lagoa” pode não sair de papel

A Coordenação-Geral de Operações de Crédito de Estados e Municípios (Copem), ligada ao Tesouro Nacional, negou pedido de empréstimo no valor de 70 milhões de dólares para a Prefeitura de Maceió executar o Revitaliza Maceió, que programa asfaltar 600 ruas da capital.

Por causa da negativa, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) viaja a Brasília na próxima semana. E a decisão do Copem pode levar o Tesouro Nacional a negar, de vez, este empréstimo e outro, referente ao Maceió de Frente Pra Lagoa, principal promessa de campanha no segundo mandato do prefeito.

Em recente entrevista à imprensa, Rui não falou da decisão do Copem. Preferiu culpar a mudança de regras do Governo Federal para obtenção destes empréstimos. Mas, não é verdade. Relatório do Copem que nega o pedido de empréstimos internacionais a Maceió tendo a União como avalista da operação de crédito.

Ou seja, a União corre risco com a operação a ser realizada em Maceió. A classificação de Maceió para esta operação é C, quando deveria ser B. O que quer dizer que a Prefeitura não tem dinheiro para pagar os empréstimos. Diz o relatório: a disponibilidade em caixa de Maceió para esta operação é de pouco mais de R$ 66 milhões. (com Repórter Nordeste)

Botão Voltar ao topo