Renan e Rui negam ponto facultativo nesta terça após jogo do CSA

Após o pedido de ponto facultativo apresentado pelo vereador Sílvio Camelo (PV), o prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB) e o governador Renan Filho (PMDB) decidiram manter o expedido normal para os servidores nesta terça-feira (26). A ideia do parlamentar era garantir o ponto facultativo para os servidores após a partida do CSA x Tombense, marcada para a noite desta segunda-feira. O jogo pode definir o Azulão na Série B em 2018.

A informação de que o expediente é normal foi confirmada pela assessoria do prefeito e do governador nesta segunda. A sugestão apresentada pelo vereador durante discurso na tribuna da Câmara de Vereadores repercutiu durante todo o final de semana.

Os torcedores do CSA já planejavam aproveitar o ponto facultativo – que seria até as 12h de terça -, para curtir ao máximo a festa que a torcida prepara para o jogo de acesso à Serie B do Brasileirão.

De acordo com o vereador, a partida marcada para esta segunda é, segundo ele, um dos maiores marcos da história recente do futebol alagoano. O parlamentar lembrou que o futebol não é apenas “um esporte, mas, sim, uma atividade econômica que movimenta milhões de reais em Alagoas e bilhões no mundo”. “Diversas atividades dependem do futebol”, justificou ele.

Camelo lembrou que no dia do jogo muitos servidores desejam ir para o estádio, torcer e ficar perto do seu time. O ponto facultativo seria na terça até as 12h, já que o jogo está marcado para as 20h30, no Rei Pelé, ofertando assim aos servidores a possibilidade de curtir toda a eventual festa no acesso do time do Mutange.

Por ter vencido a primeira partida por 2 a 0, na última segunda-feira (18), em Tombos-MG, o CSA joga por qualquer empate em Maceió para se garantir na Série B de 2018. Para avançar, o Azulão pode, inclusive, sair derrotado, desde que por diferença de até 1 gol. Todos os ingressos colocados à venda foram vendidos, ofertando um jogo de casa cheia logo mais, a partir das 20h30.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo