Reeducandos retomam trabalhos em Marechal através de projeto de reinserção

“Já havia escutado falar sobre o trabalho de ressocialização, mas não havia conferido de perto o serviço executado pelos custodiados. Acredito que eles estão no caminho certo. A partir da reinserção no mercado de trabalho, com oportunidades, as pessoas mudam de vida”, afirma o fiscal contábil do Polo Multissetorial José Aprígio Vilela, situado em Marechal Deodoro.

Dois meses após atuar na força-tarefa para socorrer as vítimas das enchentes em Marechal, os reeducandos inseridos no setor de Reintegração Social da Secretaria da Ressocialização e Inclusão (Seris) retornaram para o município para melhorar a vida da sociedade. Nesta terça-feira (2), eles iniciaram o serviço de limpeza e manutenção da área verde do Polo.

Dois meses após atuar na força-tarefa para socorrer as vítimas das enchentes em Marechal, os reeducandos inseridos no setor de Reintegração Social da Secretaria da Ressocialização e Inclusão (Seris) retornaram para o município para melhorar a vida da sociedade. Nesta terça-feira (2), eles iniciaram o serviço de limpeza e manutenção da área verde do Polo.

A ação ocorrerá no decorrer desta quinzena, com a supervisão da Seris. O fiscal José Rocha da Silva lembra que a iniciativa assegura melhorias para aqueles que transitam na região.

“A vegetação no entorno do Polo apresenta densidade em razão das fortes chuvas e podem ocasionar acidentes de trânsito. Nosso trabalho vai gerar mais segurança e beleza na região”, afirma.

 

Atualmente, 30 instituições públicas e privadas funcionam com os trabalhos dos mais 600 reeducandos dos regimes aberto e semiaberto inseridos nos convênios da Reintegração Social.

Há, inclusive, apenados na BBA Nordeste, indústria de containers situada no Polo. Em Alagoas, estado que mais emprega apenados no país, o índice de reincidência criminal inferior a 2%.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo