Detran divulga redução de 22% nos acidentes de trânsito com reforço nas blitze

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) lançou a campanha Maio Amarelo, na manhã desta segunda-feira (8), em solenidade no Palácio República dos Palmares. Na ocasião, o órgão divulgou que, no ano passado, mais de 22 mil pessoas foram vítimas de acidentes de trânsito no estado de Alagoas. Os dados mostram, porém, redução de 22% no número de vítimas de acidentes de trânsito atendidas no Hospital Geral do Estado (HGE) de 2014 a 2016. Foram 2.614 pessoas a menos em dois anos. As blitze seriam as responsáveis pela educação no trânsito, segundo o órgão.

Nestas ocorrências do ano passado, 688 pessoas morreram, sendo que 39% destes óbitos eram condutores ou passageiros de motocicleta. Dos feridos, 60% eram usuários de moto, pedestres ou ciclistas.

O diretor-presidente do Detran Alagoas, Antônio Carlos Gouveia, explicou que o lançamento da campanha acontece para trazer mais responsabilidade e consciência para os condutores. A ONU [Organização das Nações Unidas), conforme salientou, estabeleceu a década de 2010 como a década das ações de Trânsito.

Personagens estão sendo usados para educação no trânsito
Personagens estão sendo usados para educação no trânsito

“O laço representa a expectativa e o amarelo o sinal de alerta, levando em conta os altos índices de mortes no trânsito. Na prática, queremos orientar a todos que não adianta ter uma faixa e o condutor não parar para o pedestre ou então o pedestre atravessar a pista fora desta”, detalhou.

O presidente revelou que, nos próximos dias 11 e 12 de maio, em um seminário realizado no Centro de Convenções, vai se reunir com outros representantes de Detrans do País para apresentar uma minuta de um projeto de inserção da matéria Trânsito no ensino médio nas escolas.

“Queremos alavancar este projeto e realmente fazer com que a discussão parta da sala de aula, já promovendo maior conscientização do condutor e do pedestre quanto ao trânsito”, resume.

Do quantitativo de feridos nos acidentes de trânsito, sendo grande parte atendida pelo Hospital Geral do Estado (HGE), o custo para tratamento destas vítimas alcançou R$ 376 milhões durante o ano passado, o que daria, segundo estimativas da gestão, para construir seis hospitais metropolitanos em Alagoas.

O Detran ainda divulgou redução de 15% no número de vítimas sobre motos atendidas no HGE entre 2014 e 2016. E em Arapiraca, por outro lado, foi registrado aumento de 6% de vítimas no geral atendidas na Unidade de Emergência do Agreste, entre 2015 a 2016.

O secretário do Gabinete Civil Fábio Farias elogiou o trabalho do Detran voltado às ações preventivas, de forma a resguardar a vida de quem está no trânsito diariamente. “Este projeto dá condições à população de agir por um mundo melhor. A vida é o elemento mais importante”, comentou o secretário.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo